Este evento já ocorreu.
As inscrições estão fechadas.

No Palco das Constelações: Ser Livre para Amar

Facilitado por
 
Paula Rodrigues

Horário: das 14h às 19h

Este workshop tem como base o trabalho terapêutico com o método de constelação familiar ou sistémica, que trabalha as emoções e energias inconscientes que influenciam as nossas decisões. Sabendo ou não, querendo ou não, gostando ou não, pertencemos a um grupo, a um sistema, a uma família, funcionamos assim. O nosso corpo físico funciona num sistema, a sociedade, a natureza, as empresas, o planeta, as estrelas. Fazemos parte de uma constelação, por isso, o alemão Bert Hellinger chamou a essa forma de interpretarmos essas relações de: Constelação. Ser livre para amar é uma liberdade interior. É a libertação das próprias crenças e de padrões limitantes e repetitivos. É recuperar o poder de fazer escolhas É dar e receber com equilíbrio. Segundo Hellinger, o Amor precisa de condições para se manifestar na profundidade da Alma. 

 A terapia acontece num local onde haja espaço para um grupo de pessoas e sua movimentação. Há uma pessoa que facilita a sessão, chamada de Constelação. Quem facilita pouco fala.  E menos ainda a pessoa que vai constelar. A sessão ocorre em forma de movimentos: a energia surge do inconsciente da pessoa e um grande fenómeno acontece. Quem facilita pergunta à pessoa o que a leva ali e o facilitador solicita que a pessoa escolha uma pessoa do grupo presente para representá-la. A pessoa então escolhe alguém e posiciona-a no espaço que se tem para a constelação (geralmente uma sala vazia, rodeada de pessoas sentadas à sua volta). Em segundos a pessoa que foi colocada no espaço como representante começa a se movimentar. Esta pessoa simplesmente sente vontade de agir de uma determinada forma. E deixa fluir o movimento. Cada gesto tem um significado. E o facilitador pode ler através desses gestos, os passos seguintes a serem executados. Mais pessoas vão sendo escolhidas, uma a uma, para representar a situação. O que ocorre é que os representantes no campo da constelação acabam por agir como atores mágicos, atuando como as personagens da vida da pessoa constelada. Podem-se ver pessoas a chorar, gritar, dançar, falar, como se tivesse existido ali um guião criado e estudado da vida daquela pessoa. É algo tão real, que chega a parecer mágico.

A constelação é uma terapia profunda e intensa. Chega a ser surpreendente, tamanha verdade que se vê e o pouco que se compreende em sua manifestação. Não apenas a pessoa constelada é beneficiada, mas todos os representantes que participam da terapia, pois os representantes acabam sempre por ser escolhidos energeticamente pelo inconsciente do constelado, de forma que aquela pessoa sempre terá alguma identificação em si mesmo com o que virá a representar no espaço. Também os membros da família dos participantes recolhem esses efeitos apesar de ausentes, manifestando-os numa mudança de comportamento para com eles, o que, mais uma vez, se explica pela ressonância dos campos mórficos, à semelhança do que acontece nos campos eletromagnéticos, e a que Hellinger chama Campos de Conhecimento.

Podemos fazer constelação para ajudar em conflitos familiares (pais, filhos, irmãos, tios, avós), conflitos entre casais, dificuldade em lidar com perdas de pessoas queridas, dificuldade em relacionar-se de uma forma geral, problemas de saúde, conflitos no trabalho, problemas financeiros, entre muitas outras situações.

* No final do workshop, faremos uma meditação ativa como forma de celebrar o ser livre para amar. Trás roupa confortável para movimento, peúgas e venda para olhos (lenço).

Se sentes o apelo deste trabalho, faz a inscrição até 20 janeiro para: 
Paula Rodrigues (facilitadora): 968225490

Gravado com Sucesso.