Papá, mamã, nasci diferente. E agora?


Objetivos:


- Fomentar a compreensão geral acerca do conceito de necessidades educativas especiais - Evolução concetual e histórica;
- Fomentar a compreensão e a distinção dos termos “ incapacidade”, “desvantagem” e “deficiência”;
- Compreender a importância da intervenção precoce nas necessidades educativas especiais;
- Sensibilizar para a adoção de práticas parentais positivas perante o diagnóstico de incapacidade e necessidade educativa especial;

- Fornecer orientação parental na procura de respostas na comunidade.



Conteúdos:


     O desejo de se ser pai/mãe é por vezes tão forte que se criam expectativas e projetos futuros. Sonha-se com filhos saudáveis e com um desenvolvimento normal. E quando assim não é? Quando se é confrontado com realidades diferentes daquelas que se tinham imaginado? Como será assumir o papel de mãe e pai de uma criança  “diferente”? O que é ser-se diferente? Ser pai de uma criança com Necessidades Educativas Especiais é o maior desafio da parentalidade. Tendo em conta a relevância desta temática, tão presente nos nossos dias, desenvolver-se-á uma tertúlia de diálogo e reflexão.


 

Público-alvo: 


Público em geral; pais e educadores.

 

Dinamizador(a):

Elsa Mendes Silva (psicóloga) 
 


ENTREGA DE CERTIFICADO NO FINAL DA FORMAÇÃO.


*1ª -  26.11.2016

- Fomentar a compreensão geral acerca do conceito de necessidades educativas especiais - Evolução concetual e histórica;
- Fomentar a compreensão e distinção dos termos “ incapacidade”, “desvantagem” e “deficiência”;
- Compreender a importância da intervenção precoce nas necessidades educativas especiais;
- Sensibilizar para a adoção de práticas parentais positivas perante o diagnóstico de incapacidade e necessidade educativa especial;
- Fornecer orientação parental na procura de respostas na comunidade.


2ª - (ainda sem data)
- Tertúlia com pais, educadores e profissionais  que lidem diariamente com as necessidades educativas especiais - reflexão e partilha de experiências do seu quotidiano


3ª -  (ainda sem data) 
Playroom - Passagem de estratégias e competências de intervenção na brincadeira e nos contextos naturais de vida.
- Num período de 20 a 30 minutos, sentar-se-á no chão com o seu filho e irá interagir e brincar com ele, de forma divertida e desenvolvimentalmente adequada.

O objetivo será criar diferentes experiências, para que a brincadeira e o faz-de-conta, sejam agradáveis e potenciadores de desenvolvimento. Estas interações e brincadeiras livres, irão ajudar o seu filho a desenvolver relações humanas e a construir habilidades interpessoais, emocionais e intelectuais o mais precocemente possível. Com este modelo, poderá capacitar a criança de ferramentas e instrumentos úteis para que consiga expressar melhor emoções, pensamentos e sentimentos. Poderá tornar aos poucos o comportamento do seu filho intencional, como aprender a apontar para obter o que quer, posteriormente passar ao patamar seguinte que será a capacidade dele pedir, até ganhar a autonomia suficiente para o fazer sozinho. Aprender coisas simples como prestar atenção a si, no outro e na brincadeira, envolver-se em jogos de faz-de-conta, aprender a forma de como iniciar uma interação, diálogo/linguagem e desenvolver a capacidade de resolver problemas. O maior objetivo será poder ajudar a criança a “subir os degraus do desenvolvimento” e juntos criarem círculos de comunicação e interação adequados e intencionais.
 

Gravado com Sucesso.